sexta-feira, 23 de março de 2012

PLANEJAMENTO NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

O planejamento, de um modo geral, diz respeito a intencionalidade da ação humana em contrapartida ao agir aleatoriamente (Luckesi, 1992), ao "fazer de qualquer jeito", desconsiderando um fim, um objetivo, e um agir de forma organizada (os meios) para construir/atingir o resultado desejado. O planejamento de ensino, portanto, é uma construção orientadora da ação docente, que como processo, organiza e dá direção a prática coerente com os objetivos a que se propõe.
Planejar significa pensar sobre as possíveis ações que pretendemos realizar. Ao pensarmos, planejamos nossas ações e, quando estamos agindo, continuamos a pensar e a planejar.
Se o ato de planejar está presente em nossas vidas, ele também está presente na nossa atuação profissional. E, como professores, temos que compreender que, do mesmo modo que pensamos, planejamos e previmos nossas ações do dia-a-dia, também precisamos pensar, planejar e prever o que vamos ensinar aos nossos alunos. Na verdade, precisamos planejar não apenas o que vamos ensinar, como também porque vamos ensinar, para que vamos ensinar, como vamos ensinar, onde vamos ensinar os nossos alunos.
Níveis de planejamento
  • Planejamento do sistema de educação: É feito a nível nacional, estadual e municipal
  • Planejamento da Escola: Expressa o posicionamento político (as finalidades da Educação escolar para a sociedade e para a escola, a filosofia, o tipo de homem que queremos formar etc...)
  • Planejamento Curricular: Apresenta a filosofia de ação da escola, os objetivos da escola, os fundamentos de cada disciplina, processo de avaliação etc...
  • Planejamento de ensino: É um documento mais elaborado da própria autoria do professor ou do grupo de professores de cada disciplina. Pode ser anual ou semestral e é dividido por etapas: Objetivo geral, objetivo específico, conteúdo de ensino, procedimentos de ensino, recursos didáticos e avaliação da aprendizagem.
  • Planejamento de aula: Também chamado de unidade didática, é tarefa indispensável para o professor que deve ter clareza do objetivo de sua aula mesmo entes da entrar em sala.
Temas da Educação Física para as séries iniciais do ensino fundamental.
Atividade de sensibilização corporal
X
X
X
X
 Jogos Simbólicos
X



 Jogos de Construção
X



 Jogos de Regras
X
X
X
X
Rodas Cantadas
X
X


Brincadeiras Populares
X
X
X
X
Ginástica Geral
X
X
X
X
Dança Folclórica


X
X
Lutas Simples


X
X
Jogos Pré-desportivos


X
X
Atividades de Fundamentação do Esporte



X
Adaptado de Freire e Scaglia (2003).
ELEMENTOS DE UMA AULA CRÍTICO EMANCIPATÓRIA
Tem como seu idealizador Elenor kunz (1994) que utiliza a teoria Sociológica da Razão Comunicativa (Habermas – filósofo da escola de Frankfurt).
Uma aula deve ter como caminho a ser percorrido em seu desenvolvimento:
· 1. Arranjo material: Materiais necessários para a realização da aula
· 2. Transcendência de limites pela experimentação: que os alunos descubram, pela própria experiência manipulativa, as formas e meios para uma participação bem sucedida em atividades de movimentos e jogos
· 3. Transcendência de limites pela aprendizagem: Que os alunos sejam capazes de manifestar pela linguagem ou pela ou pela representação cênica, o que experimentaram o que aprenderam, numa forma de exposição que todos possam entender.
· 4. Transcendência de limites criando: Que os alunos aprendam a perguntar e questionar sobre suas aprendizagens e descobertas, com a finalidade de entender o significado cultural dessa aprendizagem, seu valor prático e descobrir, também, o que ainda não sabem ou aprenderam.
A pedagogia Critico emancipatória tem por objetivo a formação de sujeitos críticos e autônomos para transformação (ou não) da realidade em que estão inseridos, por meio de uma educação de caráter crítico, reflexivo e fundamentada no desenvolvimento de três competências:
1) A competência objetiva: que visa desenvolver a autonomia dos alunos através da técnica;
2) A competência social: referente aos conhecimentos e esclarecimentos que os alunos devem adquirir para entender o próprio contexto sócio-cultural;
3) A competência comunicativa: que assume um processo reflexivo responsável por desencadear o pensamento crítico, e ocorre através da linguagem, que pode ser de caráter verbal, escrita e/ou corporal. (KUNZ, 1998).
É por meio de um processo de reflexão-ação, possibilitado pelos três planos apresentados, que os discentes tomam consciência de que o esporte nada mais é do que uma invenção social e não um fenômeno natural, pois sendo uma instituição socialmente construída na moderna sociedade industrial, acaba reproduzindo as ideologias e a imagem do homem e mundo propostos por este modelo social.
Fonte:
SCARPATO, Marta. Como planejar as aulasa de Educação Básica. São Paulo: Avercamp, 2007
KUNZ, Elenor. Educação Física: Ensino & Mudanças. Ijuí: Unijuí, 1991.
_____. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: Unijuí, 1994.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Postar um comentário